Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

Esteja atento às várias iniciativas em perspectiva:

24/08/2017

Ui, ui, ui


Refere o autor da foto (Alexandre Pomar, in Facebook), que o painel foi para restauro e é para repor. Bom, mas não podiam restaurá-lo ali? O prédio vai para obras, é? Isto vai ser para repor como repuseram aqueles do hall do edifício da Biblioteca Camõe, no Loreto? Temo que isto tudo dê asneira da grossa. Este painel publicitário, tal como outros (poucos) ainda existentes em Lisboa (o estropiado da loja de ferragens mais atrás, o do bar americano, o do prédio da seguradora, no Corpo Santo, e mais uns 2-3), há muito que devia ser classificado de Interesse Público e tratado como tal. O giro giro da coisa é estar isto a ser feito um dia depois da publicação de mais uma portaria em defesa do património azulejar. Vamos ver no que isto dá ...

...

E até ver a coisa está bem assegurada, porque é a "Conservação ao Quadrado" que está a tratar da sua saúde. Oxalá tudo corra pelo melhor e possamos todos ver com agrado a reposição exemplar daqueles que são talvez os azulejos publicitários mais bonitos de Lisboa, dos poucos que ainda restam, aliás.

«A conservação ao Quadrado tem a enorme satisfação de estar intervir num dos mais conhecidos exemplos de publicidade em azulejo! Alguém conhece? :) — a sentir-se orgulhoso/a» (in Facebook)

12 comentários:

Anónimo disse...

Giro, mesmo giro a valer, era alguém pensar um bocadinho e contar até 10 antes de dizer asneiras e criticart tudo o que mexe.
Alguém tem algum relatório/diagnóstico que afirme que a intervenção de conservação e restauro poderia ser realizada in situ?
O que é que a recente Lei nº 79/2017 (não é uma Portaria) tem que ver com o assunto? ´Por acaso foi lida?
Já agora, os azulejos da antiga "Biblioteca Camõe" foram furtados...

Elerre disse...

Porque é que não publicam comentários?

Anónimo disse...

Para variar, e como numa boa conversa de tasco, primeiro acusa-se. O resto? Meros detalhes.

Paulo Ferrero disse...

À anónima pensadora, o meu tks, é lei, sim, está atenta :-)
Mas os azulejos do hall da biblioteca camões não foram furtados, foram desmontados e levados para restauro. foram recolocados passados uns meses, mal e porcamente.

Elerre disse...

Tanta informação corrigida. Assim, sim.

Paulo Ferrero disse...

Obrigado, cara anónima, mais uma vez. Sempre desconfiei que gostasse de tascos :-)

Elerre disse...

Cidadania de tasca Lx

Temos, e teremos sempre, munícipes inaptos para saberem amar com amor de artistas esta infeliz capital entregue em suas mãos, pois raro os críticos sabem do que falam, desse saber especial de senso comum que é aplaudir o que de bem se faz, e atirar o espírito para além das comesinhas questiúnculas de roupa suja e marmita, conversas de taxista e de café.
"Lisboa não vai tão mal", Filho de Almada, 2017)

Elerre disse...

Censura depois de mais de 40 anos?

Julio Amorim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julio Amorim disse...

Compreendo a preocupação. De maus exemplos estamos bem servidos

Anónimo disse...


O SO azulejos ´é só para roubos?

Filipe Melo Sousa disse...

O painel é de péssimo gosto. Não concebo que se impeça de retirar algo tão feio