...

...

26/06/2017

Paço Real de Caxias - Vergonha - Passados 2 anos continua ao abandono


Exmo. Senhor Ministro da Defesa Nacional
Prof. José Alberto Azeredo Lopes


C.c Presidência da República, Primeiro-Ministro, Comissão da AR, MC/SEC, CMO, Provedoria de Justiça, DGPC​ e Media

Passados 1 ano exacto sobre o nosso último alerta (http://cidadanialx.blogspot.pt/2016/06/novo-sos-ao-md-sobre-paco-real-de-caxias.html), e dois anos sobre o nosso primeiro alerta, a V. Exa., na qualidade de Ministro da Defesa Nacional, dando-lhe conta do estado lastimável do Paço Real de Caxias, sem que até agora, nada tenha acontecido de estimável a este edifício histórico do país, para lá, evidentemente, do nefasto agravamento do seu estado de conservação;

Solicitamos a V. Exa. que nos esclareça se pretende, de facto, exercer alguma obra de conservação para inverter esta situação de vergonhoso abandono a que o Estado, enquanto Ministério da Defesa Nacional, tem votado este imóvel ao longo das últimas décadas, para lá, do cíclico anúncio de há 10 anos a esta parte, de que o mesmo será vendido para efeitos de hotelaria.

Na expectativa, apresentamos os nossos melhores cumprimentos


Paulo Ferrero, Bernardo Ferreira de Carvalho, Jorge Santos Silva, Ana Celeste Glória, Júlio Amorim, Fátima Castanheira, Miguel de Sepúlveda Velloso, Miguel Jorge, Beatriz Empis, Luís Raposo, Martim Galamba, Maria João Pinto, Jorge Pinto, Maria do Rosário Reiche, Inês Beleza Barreiros, Pedro Henrique Aparício e Nuno Castelo-Branco

(Foto de Nuno Castelo-Branco)

Uau, ainda contam poucochinho... ainda podemos alugar mais!!


«Alugueres ainda contam pouco nas receitas do património

Termina esta segunda-feira o prazo do inquérito aos estragos causados por umas filmagens no Convento de Cristo. A cedência de espaços patrimoniais tornou-se um fenómeno rotineiro, lucrativo e desregulado? A verdade é que não é assim tão frequente, rende pouco e raramente provoca danos. [...]», in Público (26.6.2017), por Luís Miguel Queirós.

Mais um hotel? Ou serão as tais Galeria Lafayette de novo?


Ora bem, ora bem, lá vem mudança de uso para o Palácio Nunes Sequeira, sede da EPAL...traduzido por miúdos, lá vem mais um hotel para esta cidade de paquetes.

«Proposta n.º 437/2017 (Subscrita pelo Sr. Vereador Manuel Salgado) Aprovar o projeto de versão final da Alteração Simplificada do Plano de Urbanização da Avenida da Liberdade e Zona Envolvente (PUALZE), para efeitos de envio à Assembleia Municipal para aprovação, nos termos da proposta;»

Decididamente, esta zona da Boavista já era


«Novo Hotel da Ribeira tem projecto da Promontório»,
in Diário Imobiliário (23.6.2017)

Mais betão no betão da Alameda das Linhas de Torres


Fotos de HO

22/06/2017

O que será que vem aí?


Hoje 14.30h no Palácio Almada-Carvalhais, Largo Conde-Barão, os projetos reabilitação urbana apresentados pelo Fundo Sete Colinas com a presença do Ver. Manuel Salgado.

NB: Sessão privada, só aberta a convidados. Será que deixam entrar o Conde-Barão do Alvito? É vizinho e directamente interessado! :-)

Então e a ideia de colocar todos os buses no Martim Moniz? Parece-me certa!


In O Corvo (22.6.2017), por Samuel Alemão:

«Moradores da Baixa e da Sé dizem-se saturados de tantos autocarros turísticos

A circulação e o estacionamento de autocarros turísticos de grande dimensão pelas ruas da Baixa pombalina e da zona da Sé estão a contribuir para uma rápida degradação da qualidade de vida naquelas áreas. O problema tem vindo a intensificar-se, nos últimos anos, à medida do crescimento do fluxo de turistas a visitarem a capital portuguesa. Os moradores reclamam, por isso, a actuação das autoridades municipais, dando assim continuidade a queixas que já não são de hoje. O presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, Miguel Coelho (PS), reconhece-lhes razão e tem vindo a exigir medidas à Câmara Municipal de Lisboa (CML), desde há mais de dois anos. Mas no terreno pouco se vê. Como consequência, o PSD pede a rápida criação de um muito prometido regulamento, que, entre outras coisas, permita “interditar o trânsito de autocarros turísticos em algumas artérias de zonas históricas”. [...]»

Festa da cerveja 2017 - Em frente do MNAA, fonte Pombalina MN...


Festa da cerveja 2017 - Rua dos Mastros


Jardim do Miradouro do Torel: abandono


I.e., relvados sem manutenção, lagos sem água, canteiros sem plantas ou flores, portão e gradeamentos cheios de ferrugem. Enfim, é preciso que este Jardim Histórico volte para a tutela da CML!!

Fotos de Fernando Jorge

21/06/2017

Olha que lindo, era tudo ilegal no projecto de ampliação do Bairro Alto Hotel mas ficou tudo légau:


Boas notícias para este pobre desgraçado, saudoso do século XIX :-)


Cultura - Direção-Geral do Património Cultural
Projeto de Decisão relativo à classificação como monumento de interesse público (MIP) do imóvel sito na Praça Duque de Saldanha, 28 a 30, e na Avenida da República, 1 e 1-A, Lisboa, freguesia das Avenidas Novas, concelho e distrito Lisboa:https://dre.pt/web/guest/home/-/dre/107508411/details/maximized?serie=II&parte_filter=31&day=2017-06-12&date=2017-06-01&dreId=107508391

Acerca da remoção dos cabos que nunca mais vem, eis uma recomendação recente do Provedor de Justiça à CML:


Escandaleira


Escandaleira... o prédio que aqui (na Almirante Reis) estava, estava em bom estado, pelo que não havia necessidade para esta "reabilitação", e nada tinha que ver com este mono digno da Reboleira!

As 3 fotos iniciais são da autoria de Diogo Baptista

15/06/2017

Segunda onda de calor de Junho 2017: é urgente reforçar a rega de árvores

Previsão de tempo do IPMA para Lisboa entre 15 e 20 de Junho

A Primavera de 2017 está a ser extremamente seca e quente. Depois de um mês de Abril extremamente quente e extremamente seco seguiu-se um Maio extremamente quente. Entretanto, em Junho, inicia-se amanhã aquela que é já a segunda onda de calor do mês. Estas condições impõem um enorme stress hídrico às plantas.

Desta forma, devido à seca e calor extremo, que é previsto agravarem bastante nos próximos dias, é urgente reforçar a rega de árvores plantadas nos últimos 2 a 3 anos, com sistemas radiculares ainda pouco estabelecidos.

Como exemplo, num passeio por Lisboa no dia 14/Jun/17, entre Entrecampos e o Parque Eduardo VII, constatei que muitos dos exemplares do género Prunus (que inclui cerejeiras-bravas e ameixeiras-de-jardim, por exemplo) plantados no Eixo Central, em especial no alinhamento externo mais próximo dos edifícios, se encontram em elevado stress hídrico e vários deles irão provavelmente secar irreparavelmente se não for reforçada a sua rega.

Ao mesmo tempo, o pinheiro-manso plantado ao lado da nova escadaria de acesso ao Pavilhão Carlos Lopes, em substituição de um de grande porte que foi abatido, já secou e necessita de ser substituído.

Deixo aqui, por isso, o apelo para que alertem quem conheçam nas vossas juntas de freguesia, na CML e outras entidades pelo país fora que tenham a seu cargo espaços verdes, para que reforcem urgentemente a rega das plantas/árvores que necessitem.

Ou terão de gastar muito dinheiro a substituí-las, como terá de ser substituido o pinheiro-manso atrás referido.


Actualização a 16.06.2017


Entretanto, em contacto telefónico com a CML, fui encaminhado para o sítio na internet Na Minha Rua, da CML, que não conhecia. Fiz lá um relato sobre esta minha preocupação sobre as árvores da Avenida da República. Se conhecerem alguma outra situação sugiro que façam lá o registo. Obrigado!

11/06/2017

A Junta de Freguesia da Estrela e a forma como trata as árvores e os arbustos


LOENDRO NO JARDIM OLAVO BILAC, JUNHO DE 2017

ANTES DA INTERVENÇÃO

DEPOIS DA INTERVENÇÃO

Deixo os comentários à sensibilidade de cada um. Pinto Soares